Bio

O cantor, compositor e produtor Péri (Periandro Cordeiro Nogueira, 1965 – presente) nasceu em Salvador, capital da Bahia, onde escutava, ainda menino, o som dos blocos de batucada mais tradicionais do bairro, Apaches do Tororó e Secos e Molhados, que concentravam nos dias de carnaval na porta da casa de seus avós, na rua da Capelinha, quintal da igreja de Nossa Senhora da Conceição do Amparo do Tororó.

Despertado o interesse pela música, aprendeu as primeiras noções de violão com o seu tio-avô, o violonista Amilton Ferreira. Montou em seguida a Banda Deita e Rola com amigos do bairro do Acupe, Chico Nascimento, Paulinho Mesquita, Luiz Galvão e Adno Rezende. Foi o passo inicial para os festivais de escola, apresentações como crooner de boate, bares, bailes e em carnavais, quando cantou na Banda Pike em 86 e 87.

Já na carreira solo, se apresentou em algumas casas tradicionais da capital baiana, dentre Teatro Castro Alves, Concha Acústica, teatros do ICBA e da Acbeu, bem como nos famosos bares Canoa e Berimbau. Péri foi considerado destaque nas edições de 86 e 90 do Troféu Caymmi – o mais respeitado e concorrido da música baiana –, levando os prêmios de melhor compositor, intérprete, produção, show, iluminação e banda.

Migrando para São Paulo em 1991, mas nunca deixando de reafirmar suas origens em suas letras e composições, Péri voltou aos palcos afora no John Anson Ford Amphitheatre Hollywood | Los Angeles / Estados Unidos e no Festival de Vicky | Barcelona / Espanha. No Brasil, shows no Memorial da América Latina, Sesc Pompeia, Biblioteca Mário de Andrade, Museu de Arte Moderna da Bahia, dentre outros mais.

Em 1998, fundou a Baticum (www.baticum.com.br) com o amigo e sócio Rodrigo Fonseca, selo alternativo e produtora de som para o mercado fotográfico e publicitário.

Gravou os álbuns “A Cama e a TV” (1997), “Morda Minha Língua” (2001), “Ladainha” (2003), “Samba Passarinho” (2005), “Segundo Tempo” (2007), “Vibe (2009)”, “2012” (2012) e “O Eterno Retorno” (2016).

O CD Samba Passarinho foi finalista do Grammy Latino 2006, Prêmio Tim 2006 e do Projeto Rumos Itaú 2005.

Péri já teve composições gravadas por diversos nomes; dentre eles Gal Costa, Vânia Abreu, Jussara Silveira, Ceumar, Margareth Menezes, Eliana Printes, Ione Papas, Bia Góes, Patricia Talen, Denise Melo, Adriana Drê, Carlos Navas, Zé Guilherme, Vanderlei Carvalho, Maíra Baumgarten, Ricardo Chaves, e pela banda Pau D’Água.